GESTÃO DE PESSOAS

Gestão de pessoas é o conjunto de estratégias empregadas por empresas para desenvolver seu capital humano. As ações de Recursos Humanos são exercidas desde a atração dos melhores profissionais possíveis e incluem seu desenvolvimento, retenção e motivação para desempenhar suas funções.

Em uma empresa, a gestão de pessoas deve ser feita pelos gestores e diretores, porque é uma área que requer capacidade de liderança. O setor de gestão de pessoas possui uma grande responsabilidade na formação dos profissionais, e tem o objetivo de desenvolver e colaborar para o crescimento da instituição e do próprio profissional.

Disciplinas:
  • Gestão de Pessoas e Cultura Organizacional (30h = 2 cr)
  • Psicologia Organizacional (30h = 2 cr)
  • Ética e Responsabilidade Social (30h = 2 cr)
  • Captação, Seleção, Desempenho e Treinamento de Pessoas (30h = 2 cr)
  • Gestão de Equipes por Competência. (30h = 2 cr)
  • Qualidade de Vida e Segurança no Trabalho. (30h = 2 cr)
  • Coaching (30h = 2cr)
  • Análise da Dinâmica das Organizações. (30h = 2 cr)
  • Metodologia de Pesquisa em Administração. (30h = 2 cr)
  • Remuneração Estratégica, Carreira e Direito Trabalhista (30h = 2 cr)
  • TCC (90h = 3 cr)
Objetivo:

Capacitar para a administração, eficaz, dos recursos materiais, financeiros, humanos e administrativos nas organizações;

Diferenciar ações organizacionais que contribuem para o desenvolvimento profissional e o bem-estar no trabalho;

Identificar e reconhecer a importância das pessoas nos processos de mudança organizacional e de uma gestão empreendedora e ética;

Descrever a relação entre gestão de pessoas e estratégia organizacional;

Planejar, coordenar e gerir técnicas administrativas.

Público-alvo:

Profissionais de nível superior em geral, que atuem ou que queiram atuar na área de Gestão de Pessoas em Organizações.

Justificativa

A Gestão de Pessoas nas organizações passa por um entendimento das diferenças entre as técnicas tradicionais com as modernas, com o intuito de compreender claramente como os papéis dos profissionais da área de Recursos Humanos se integram ao trabalho desenvolvido pelos gestores. As organizações sentem, cada vez mais, a necessidade de fornecer produtos e serviços que superem as expectativas dos clientes. Logo, cabe à organização apresentar um modelo de gestão de alta participação, que exija do gestor agilidade, flexibilidade e capacidade de aprender, por meio de mecanismos de autodesenvolvimento.
Os gestores estão envolvidos em um processo dialógico que, por conseguinte, ordena modificações em alguns padrões pessoais e da cultura da organização para que a empresa não perca em competitividade. Nesse processo, a inovação passou a ser a mola mestra. Destarte, a incorporação de novos modelos de estímulo ao significado do trabalho para as pessoas indicam outros caminhos para perseguir novas práticas de gestão de pessoas em organizações.